Monthly Archives: maio 2015

No Sertão, só Arcoverde, Tuparetama, Itapetim e Carnaíba cumprem Lei da Transparência

 
O Diário de Pernambuco de hoje traz reportagem especial sobre os sites com Portal da Transparência em Pernambuco. A matéria traz um dado muito preocupante: de cada quatro cidades no Estado, três não atualizam dados como manda a Lei 131/2009, conhecida como a Lei da Transparência.
 
Segundo o levantamento, dentre as cidades mais próximas do ideal previsto em lei, estão Recife, Jaboatão, Moreno, Vitória, Sairé, Machados, Águas Belas, Pesqueira, Arcoverde, Sertânia, Tuparetama, Itapetim, Carnaíba e Granito.
 
No Pajeú, todas as demais cidades estão classificadas como cidades que tem o Portal, mas precisam de melhorias de usabilidade (como São José do Egito e Triunfo), cidades com Portal não encontrado (como Flores e Santa Cruz da Baixa Verde) ou Portal que não existe, está desatualizado ou fora do ar (situação de Afogados, Serra Talhada, Ingazeira, Brejinho, Calumbi, Iguaraci, Santa Terezinha, Quixaba, Solidão e Tabira).
 
Fonte: Nill Júnior

Barragem da Ingazeira: a volta da desesperança

 
Por Joel Gomes*
 
Novamente a desesperança atraca nos nossos lombos, cansados de tanto carregar água no galão e nas nossas mentes prejudicadas pelo peso da lata-d’água na cabeça e que nos identifica Brasil afora.
 
Desde 21 de junho de 1941, quando Getúlio Vargas assinou o primeiro Decreto de desapropriação da área para Construção da Barragem de Ingazeira, alimentando, então, a nossa esperança para o barramento das águas do meu querido Pajeú.
 
Coube a alguns homens desmistificar de que jamais seria construída tal Barragem. Lutas travadas, viagens longas e intermináveis trouxeram de volta a esperança e o sonho dos sertanejos com o reinício das Obras Paralisadas da Barragem de Ingazeira, também chamada Barragem de Cachoeirinha.
 
Máquinas e homens começaram a mudar a paisagem do meu inestimável Pajeú. Nosso sonho será realizado, pensávamos todos nós.
 
Pura desolação e novamente se abate entre todos o vexame de não ser concluída a Barragem que suprirá nossas deficiências e mazelas pela falta do mais precioso líquido do mundo, a  água.
 
Vi e ouvi a assinatura pela Presidente Dilma para o reinício das obras da tão sonhada Barragem. Minha esperança se renova, meu sonho, enfim, realizado. Até quando?
 
Aos Senhores Deputados, Senadores do meu querido Leão do Norte saberão explicar por que irão parar as obras da Barragem de Ingazeira?   Se não sabem deveriam saber, uma vez que a resposta é demasiadamente simples: por que os Senhores Deputados e Senadores não colocaram recursos no Orçamento, ou mesmo uma Emenda de Bancada para que não víssemos frustrados, mais uma vez, os nossos sonhos, nossas esperanças…
 
E aqui não é um desabafo solitário: é de aproximadamente 100 mil pessoas que deveriam encorajar-se e folhear o Orçamento e seus milhões de recursos que estão disponíveis para festas nos seus respectivos currais eleitorais. Valores milionários para realização de festas patrocinadas com o dinheiro público, meu e seu.
 
Ao Governo Central, meu, e de todos nós sertanejos, desânimo e meu desapontamento com tanto desvio de recursos do povo Brasileiro. Se a Presidente Dilma olhasse para a nossa situação e se comovesse, talvez nos mandasse 10% do que devolveu o ex-Gerente Duque e não precisaríamos paralisar as Obras da Barragem de Ingazeira.
 
Que pena que o Brasil ainda não acordou para a verdadeira política social que tanto enobreceria os atos em defesa do povo. Que pena, que nossos Parlamentares, com todo o respeito, preferem financiar festas ao invés de financiar a construção de barragens para saciar a nossa sede. Sinceramente, Senhores Deputados e Senadores de Pernambuco, que pena…
 
*Joel Gomes é vereador de Tuparetama
 
Fonte: Nill Júnior

Prefeitura da Ingazeira recebe mais de 2 milhões de FPM e mesmo assim não vai realizar a Fecaprio

Há poucos dias o prefeito da Ingazeira, Luciano Torres, anunciou a imprensa que não iria realizar a Fecaprio deste ano por conta da crise hídrica e que os recursos que viriam de apoio da Secretaria Estadual de Agricultura para a feira iriam servir para fazer sistemas de abastecimento de água.

Porém segundo os dados que estão no site do Banco do Brasil referentes aos repasses do FPM (Fundo de Participação dos Municípios), nos meses de abril e maio deste ano, a prefeitura da Ingazeira recebeu mais de 2 milhões de reais.

No mês de abril o repasse do FPM foi de R$ 1.010.598,63 (Um milhão, dez mil, quinhentos e noventa e oito reais e sessenta e três centavos). No mês de maio até o momento o repasse do FPM foi de: R$ 1.062.928,35 (Um milhão, sessenta e dois mil, novecentos e vinte e oito reais e trinta e cinco centavos), sendo um total em quase dois meses de: R$ 2.073.526,98 (Dois milhões, setenta e três mil, quinhentos e vinte e seis reais e noventa e oito centavos).

Esse valor seria suficiente para fazer vários poços no município, como também daria para realizar a Fecaprio e os festejos juninos na cidade. O que não dá para entender é por que o prefeito alega tanta dificuldade financeira no município mesmo chegando tantos recursos do FPM para a Ingazeira.

Já está se tornando comum e repetitiva essa desculpa de crise financeira para não realizar as festas tradicionais do município. Foi assim na emancipação, no carnaval, na festa do padroeiro, na Semana Santa não houve a distribuição dos peixes que já era tradicional todos os anos e agora a Fecaprio. O mais importante é que diferentemente de outros anos a população agora sabe pelo menos quanto chega de recursos para o município.

Veja a baixo os demonstrativos: 

(Demonstrativo do mês de abril)

(Demonstrativo do mês de maio)

Mário Viana critica Luciano Torres e diz que está aberto para conversar com Itan do Mercado

Nome da oposição ingazeirense, Mário Viana Filho disse em entrevista à Rádio Pajeú que vai marca posição a partir de agora com mais força nas críticas ao governo Luciano Torres e na construção de uma opção para as eleições de 2016. Mário procurou a emissora depois da repercussão de pesquisa do Instituto Múltipla que aferiu aprovação de Luciano.

“Não estivemos ausentes. Sempre ouvimos a população. Fizemos críticas construtivas. Não seremos oposição por ser, temos que ser propositivos”. Mário comentou o papel executado pelo Presidente da Câmara Juarez, que tem feito duros questionamentos ao executivo. “Todos sabem que integrou a base do prefeito e há um mês houve o rompimento. Ele está decepcionado com Luciano e está mostrando os desmandos do prefeito”.

Mário diz estar conversando com Juarez. “O apoio ao nosso projeto vai ser discutido ao longo do tempo com Aécio, a vice Beta e outros nomes que se somam a gente”. Ele espera contar com uma coalisão com o empresário Itan do Mercado, que já externou vontade de ser prefeito da cidade.

“O Itan está desgostoso porque foi afastado do grupo. Escantearam ele. Estamos de portas abertas para qualquer insatisfeito com o prefeito. Vamos abrir diálogo com Itan porque foi rejeitado”. Mário disse que não sabe contra quem vai disputar o pleito afirmando que “o prefeito promete a várias pessoas”.

Sobre a declaração de Antonio de Pádua dizendo que o povo de Ingazeira não votaria em forasteiros, disse Mário: “Antonio de Pádua esqueceu que votou duas vezes em forasteiro, já que o prefeito é de Jabitacá. Hoje como vereador pago pelo povo não tem ações. E eu sem receber fiz mais que ele”.

Pesquisa Múltipla: Mário disse não querer discutir os métodos do Instituto Múltipla, que aferiu aprovação de 81% do gestor ingazeirense. Mas questionou os dados. “Acho que não é a realidade do município. Há uma rejeição altíssima na Ingazeira. Lá as obras são do Governo Federal, uma ou duas do município”. Ao final, chegou a dizer que em alguns itens a gestão Torres consegue ser pior que a de Zé Veras.

Fonte: Nill Júnior

Tabira: ou reelege o prefeito agora ou entra para história

 
A Câmara dos deputados aprovou nessa quarta-feira (27), por 452 votos a 19, o fim da reeleição para cargos executivos no Brasil, como presidente, governador e prefeito. A mudança faz parte das discussões em torno da reforma política e, se o Senado aprovar, já será válida a partir das eleições de 2018.
 
Desde 1998 é permitida a reeleição no país, mas Tabira carrega consigo a marca de nunca ter reelegido um prefeito. E não foi por falta de tentativa. O ex-prefeito Dinca Brandino tentou por duas vezes e Josete Amaral tentou em uma oportunidade. Ambos receberam uma resposta negativa da população.
 
Como a decisão, se for aprovada, só vai valer a partir da próxima eleição em 2018, o Prefeito Sebastião Dias terá a oportunidade de entrar para história como sendo o primeiro e único prefeito a ser reeleito em Tabira.
 
Caso isso não aconteça, quem entra para história é Tabira e sua gente como sendo a única cidade, pelo menos do Pajeú, e quem sabe até do Brasil, que nunca reelegeu um prefeito nesse período de vigência da lei. É esperar para ver!
 
Fonte: Radar do Sertão

Carnaíba: Prefeitura entrou com liminar para parar fábrica de cimento, diz vereador

 
O vereador Luiz Alberto, de Carnaíba, diz que a Poder Judiciário concedeu liminar suspendendo as atividades da Fábrica de Cimentos Petribu, fabricante do Cimento Pajeú. O pano de fundo é a continuidade das explosões na área de exploração de calcário, matéria prima do cimento, nas imediações da comunidade de Santa Rosa, quando ainda não foi concluído o processo de indenização de 43 famílias que ainda residem e convivem com o problema.
 
A informação do próprio Luiz Alberto é que o pedido de liminar foi feito pela Prefeitura de Carnaíba, encabeçada pelo Prefeito Zé Mário Cassiano através do advogado Jonas.
 
Luiz Alberto questiona a decisão que pode interromper a atividade econômica e por em risco 300 empregos gerados pela fábrica. No fundo, a instalação e funcionamento da fábrica causou importante impacto econômico em Carnaíba e região. Mas é fato que o início de seu funcionamento quando ainda não havia sido concluído o processo de indenização e realocação das famílias tem gerado grande problema.
 
Em abril, o Presidente da Fetape Doriel Barros, responsabilizou o Instituto de Terras de Pernambuco – Iterpe – pela lentidão no processo de avaliação de terras de moradores da comunidade de Santa Rosa, município de Carnaíba, que ficam ao lado da fábrica de cimento do Grupo Pertribu, que produz o Cimento Pajeú, o que tem causado transtornos relatados por uma líder comunitária à emissora.
 
Outro problema é relacionado à avaliação das terras, que estava parada. Segundo Mayara Gomes, representante da comunidade, o sofrimento da comunidade é muito grande. “São 43 famílias ainda sem indenização”. Ela informou que há um dinheiro em conta, R$ 350 mil, que representaria parte das indenizações, mas  ainda não é suficiente. Assim como é aguardada a realocação para outra área rural do município. Uma reunião recente, segundo ela, tratou do tema com o Juiz José Carvalho de Aragão Neto.
 
Fonte: Nill Júnior

Deputados aprovam fim da reeleição para presidente, governador e prefeito

Antes, Câmara aprovou doação de empresas a partidos, não a candidatos. Texto completo da reforma política ainda terá que ser votado em 2º turno.

A Câmara dos Deputados aprovou na noite desta quarta-feira (27), por 452 a favor, 19 contras e uma abstenção, o fim da reeleição para presidente da República, governador e prefeito. A votação foi parte da série de sessões iniciada nesta semana, destinada à apreciação das propostas de reforma política.

O texto do fim da reeleição, de autoria do relator, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), não altera o tempo atual de mandato (quatro anos), mas, nesta quinta-feira (28), o plenário analisará a ampliação da duração do mandato para cinco anos. Antes de votar o fim da reeleição, os deputados rejeitaram nesta quarta o financiamento exclusivamente público das campanhas e aprovaram a doação de empresas a partidos, mas não a candidatos.

A proposta de emenda à Constituição da reforma política começou a ser votada no plenário nesta terça (26). Por decisão dos líderes partidários, cada ponto da PEC, como o fim da reeleição, será votado individualmente, com necessidade de 308 votos para a aprovação de cada item. Ao final, todo o teor da proposta de reforma política será votado em segundo turno. Se aprovada, a PEC seguirá para análise do Senado.

Fim da reeleição

Pelo texto aprovado pelos deputados, a nova regra de término da reeleição não valerá para os prefeitos eleitos em 2012 e para os governadores eleitos em 2014, que poderão tentar pela última vez uma recondução consecutiva no cargo. O objetivo desse prazo para a incidência da nova regra foi obter o apoio dos partidos de governantes que estão atualmente no poder.

Durante a votação em plenário, os líderes de todos os partidos orientaram que os deputados das bancadas que votassem a favor do fim da reeleição.

“O entendimento da nossa bancada é que [a reeleição] foi um instrumento que não se mostrou produtivo para o nosso país”, disse o líder do PMDB, Leonardo Picciani (RJ).

Também defensor do fim da reeleição, o líder do Solidariedade, Arthur Maia (BA), argumentou que o uso da máquina pública pelo governante que está no poder torna desigual a disputa com outros candidatos.

“É desigual e injusto alguém disputar eleição contra o governante que está no poder com todos os favorecimentos que este poder proporciona”, discursou.

O líder do PT, Sibá Machado (AC), defendeu o fim da reeleição, com a manutenção do mandato de quatro anos.

“Nossa bancada vai orientar o voto sim, pelo fim da reeleição. Todos nós sabemos que a reeleição foi introduzida por um governo do PSDB”, declarou.

O PSDB também defendeu acabar com a possibilidade de reeleição, ressaltando porém, que essa regra “cumpriu o seu papel histórico”.

“A avaliação da bancada é que devemos caminhar para um novo ciclo, pelo fim da reeleição com mandato de cinco anos. Amanhã [quinta[, discutiremos o período do mandato”, disse o deputado Marcus Pestana (PSDB-MG).

Financiamento

Mais cedo, nesta quarta, a Câmara aprovou incluir na Constituição autorização para que empresas façam doações de campanha a partidos políticos, mas não a candidatos.

As doações a candidatos serão permitidas a pessoas físicas, que poderão doar também para partidos. O texto foi aprovado por 330 votos a favor e 141 contras.

No início da madrugada de quarta, o plenário havia rejeitado emenda de autoria do PMDB que previa doação de pessoas jurídicas tanto a partidos quanto a campanhas de candidatos.

A derrubada dessa emenda foi interpretada por lideranças políticas como uma derrota do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e do vice-presidente Michel Temer, que negociaram pessoalmente a votação do artigo da PEC.

O PMDB, então, se empenhou para aprovar, pelo menos, uma emenda que garantisse a doação de empresas aos partidos políticos.

Outras siglas da base aliada e da oposição defenderam a proposta, como o PR. “Esse é o texto mais equilibrado que temos. Impede a doação a varejo aos candidatos, mas permite a doação aos partidos. Posteriormente as leis estabelecerão limites a essas doações”, disse o líder do PR, Maurício Quintella Lessa.

O PT, porém, favorável ao financiamento exclusivamente público, se posicionou contra. O vice-líder do partido Alessandro Molon (PT-RJ) defendeu a derrubada da emenda para que se negociasse, posteriormente, uma solução em projeto de lei que garantisse maior “equilíbrio” na distribuição de recursos de campanha.

“Se derrotarmos, teremos tempo para conseguir uma solução para todos nós. Hoje, pela regra, qualquer um de nós pode receber, partidos e candidatos. Se essa emenda for aprovada, só os partidos poderão receber recursos. Vamos encontrar uma solução que estabeleça uma distribuição equânime”, defendeu.

Fonte: G1

Ministério garante Adutora até PB, mas Barragem da Ingazeira e ramal Sertânia-Afogados ainda dependem de orçamento

Ministro recebe documento relatando quadro da região por prefeitos, Deputado e promotor. Foto: Cláudio Gomes

O Ministro da Integração Nacional Gilberto Occhi recebeu hoje em seu gabinete prefeitos da região do Pajeú e Moxotó, além do promotor Lúcio Luiz de Almeida Neto representando o MPPE. Oficialmente, o encontro aconteceria nesta quinta, mas a agenda de prefeitos com retorno marcado para suas cidades fez com que o encontro fosse antecipado.

Em relação a Adutora do Pajeú, foram repassadas informações do Ministro e também Secretário de Recursos Hídricos do Ministério, Osvaldo Garcia, com mapa da situação e perspectivas da obra. A promessa foi de que o eixo central da adutora que vai até Teixeira não vai parar. Da mesma forma, os ramais para Triunfo e Santa Cruz da Baixa Verde foram incluídos e serão executados esse ano.

O mesmo não se pode garantir para Santa Terezinha e Brejinho, que não estão dentro do orçamento deste ano, apesar de estarem no projeto. Mesma situação do ramal de Sertânia-Afogados, tido como o mais importante da transposição. A informação é de que o Ramal não está no orçamento deste ano, necessitando de articulação para incluí-lo no de 2016.

O ministro foi informado do contingenciamento de repasses, principalmente para a empresa francesa Sangoban, que tem um passivo de R$ 22 milhões a receber pela entrega dos tubos e ameaça parar de fornecer. O Ministério prometeu liberar de R$ 5 milhões mês para a empresa executora, a MRM. “Isso manteria o fluxo, mas não resolveria se não pagasse a fornecedora dos tubos”, disse ao blog o promotor Lúcio Almeida. O ministro se comprometeu em verificar a questão.

O Ministro informou que a sua pasta elencou seis projetos prioritários, que não sofrerão contingenciamento, para este ano. Dentre eles, três que interessam diretamente a Pernambuco: a Adutora do Agreste, os próximos trechos da Adutora do Pajeú e o ramal leste do projeto de integração de bacias do Rio São Francisco.

A notícia preocupante veio da Barragem da Ingazeira. O Ministro revelou que ela está fora da previsão das obras prioritárias do orçamento deste ano. O Ministro foi claro, afirmando que   dependerá do caixa do governo, que ainda não tem previsão clara por necessidade de análise plena do impacto dos cortes da pasta a partir do contingenciamento e ajuste fiscal. Ele apelou para que a empresa executora da obra aguente até junho quando será liberado parte do passivo. “Se parar, piora”, disse Occhi.

O Ministério também garantiu R$ 15 milhões através da Defesa Civil para a Operação Pipa, para atender Pernambuco.

Cobrança da Transposição – a ligação do ramal leste da Transposição em Sertânia com Adutora do Pajeú em Afogados, que trará reforço fundamental para municípios do Alto Pajeú e Cariri paraibano a partir de Afogados foi classificada pelo Ministério como a terceira parte da segunda etapa da Adutora, sem recursos garantidos, mesmo com a licitação já tendo sido feita pelo Dnocs. Segundo o promotor Lúcio Almeida ao blog, “vai depender de mobilização de lideranças, senadores e deputados para entrar no orçamento de 2016”.

Dentre os prefeitos que usaram da fala e buscaram sensibilizar o Ministro, relatando a situação na região, estiveram José Patriota, Deva Pessoa, Luciano Torres e Luiz Carlos. Falando ao blog, o promotor Lúcio Almeida destacou também a participação de Humberto Costa, mesmo em meio a atribulada agenda com os debates sobre ajuste fiscal e MPs no Congresso. “Humberto reforçou o nosso pleito. Redigimos um ofício conjunto e entregamos ao Ministro, assinado por mim, José Patriota, Kaio Maniçoba e Humberto”.

Uma outra audiência foi marcada para a primeira quinzena de julho para avaliar encaminhamentos da primeira. Também foi encaminhada uma audiência com o Ministro da Casa Civil Aloísio Mercadante.

Participaram da audiência  além do Senador Humberto Costa e do Deputado Federal Kaio Maniçoba, o Promotor de Justiça e Coordenador da 3ª Circunscrição Lúcio Luiz Almeida Neto, o Presidente da Amupe e Prefeito de Afogados, José Patriota, Coordenador do Cimpajeú e Prefeito de Tuparetama Dêva Pessoa, mais os prefeitos  Guga Lins (Sertânia), Luiz Carlos (Custódia), Luciano Torres (Ingazeira), Rorró Maniçoba (Floresta), Luciano Duque (Serra Talhada), José Vanderley (Brejinho), José Pretinho (Quixaba) e Assessores do Ministério.

Fonte: Nill Júnior

Oposição em situação confortável na Ingazeira

Com o rompimento político da vice-prefeita Beta (PSB), do vereador Aécio (PSDB), do presidente da Câmara Municipal Juarez Ferreira (PSB) e agora com esse imbróglio envolvendo lideranças governistas (vereadores) e o empresário Itan Fernandes (Sem Partido), a oposição passa a ficar numa situação confortável em Ingazeira.

Para o jornalista e pré-candidato Mário Viana (PTB) a coisa nunca esteve tão boa politicamente. “Vivemos um momento bom politicamente em Ingazeira, estamos dialogando com lideranças e ganhando a cada dia a aceitação do povo, nunca desanimamos do nosso projeto, por isso acredito que essa é a hora de o povo mostrar seu sentimento”, finalizou Mário.
 
Fonte: Blog do Itamar

Lei que proíbe celulares em escolas é comemorada também no Sertão

2fed340785b0a0ce00404f94ebc818e5

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), sancionou a lei 15.507 de 21 de Maio de 2015, que proíbe o uso de celulares e outros equipamentos eletrônicos nas salas de aula, bibliotecas e demais espaços de estudo das escolas públicas e particulares no Estado de Pernambuco.

Nas salas de aula, os celulares devem permanecer desligados e só poderão ser usados para aplicações pedagógicas. Nos demais espaços da escola, esses aparelhos devem ser mantidos no modo silencioso. A desobediência à Lei acarretará a adoção de medidas previstas no regimento escolar ou nas normas de convivência da escola.

A Lei diz ainda que caberá aos estabelecimentos de ensino garantirem que os alunos tenham conhecimento da proibição, afixando aviso nas salas e bibliotecas. Também ficará a cargo das escolas disciplinar o uso de telefones fora do horário de aula.

A lei é de autoria do deputado Professor Lupércio (SD). Na justificativa da matéria, ele reconhece o avanço da tecnologia para o aprendizado, mas adverte que o uso excessivo pode atrapalhar a concentração dos alunos.
 
No Pajeú, a medida foi muito comemorada. Em alguns casos, escolas já tinham tomado decisões similares, como no Colégio Normal Estadual, Afogados da Ingazeira. “No ensino fundamental celulares e fones de ouvido eram proibidos, fruto de decisão da comunidade escolar. No ensino médio, era permitido portar mas desligado ou silencioso guardado na bolsa”, disse a professora Socorro Araújo no Debate das Dez da Rádio Pajeú.
 
No Cônego João Leite, a Diretora Cleide Siqueira afirmou que alguns professores isoladamente já tinham tomado essa decisão. “A Lei é ótima porque unifica”. No Debate das Dez da Rádio Pajeú, alunos aprovaram a medida.
 
O caso é grave: no comércio, não são poucos os estabelecimentos que já tomaram medidas para proibir celulares com funcionários. “Tivemos que fazer isso para não perder clientes”, afirmou a comerciante Jacitara Nascimento.
 
Outra questão debatida foi a necessidade de que a família assuma seu papel. “Triste saber que o Estado teve que intervir em uma decisão que seria da família”.
 
Fonte: Nill Júnior

Armando coordena encontro entre empresários de cinco setores de Brasil e México

16071460204_d55e0809c8_z
 
Evento acontece na Cidade do México, durante a visita oficial da presidenta Dilma Rousseff 
 
Brasília – O ministro Armando Monteiro participa nesta terça-feira (26), na Cidade do México, do Seminário Empresarial Brasil-México, promovido pelo Ministério Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), com a presença de empresários de cinco setores: automotivo, cosméticos, alimentos, eletroeletrônicos e tecnologia da informação.
 
O evento acontece durante a visita oficial da presidenta Dilma Rousseff ao presidente mexicano, Enrique Peña Nieto. Promovido em parceria com o Ministério das Relações Exteriores (MRE), a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), o encontro vai apresentar painéis sobre oportunidades de negócios e de investimentos bilaterais.
 
O ministro Armando Monteiro integra a Comitiva Presidencial, sendo responsável por temas comerciais da agenda oficial, como as trocas bilaterais, investimentos recíprocos, cooperação e assuntos internacionais.
 
Intercâmbio comercial
 
O comércio entre Brasil e México, em 2014, somou pouco mais de US$ 9 bilhões, volume que representou exportações brasileiras de US$ 3,7 bilhões e importações de produtos mexicanos de US$ 5,3 bilhões. As trocas foram superavitárias para o país norte-americano em US$ 1,7 bilhão.
 
As exportações brasileiras para o México são majoritariamente de produtos industrializados (93,8%), enquanto os produtos básicos representaram apenas 6,2% da pauta.  No ano passado, mais de 2,5 mil empresas brasileiras venderam produtos para o mercado mexicano.
 
Do lado das importações, as vendas do México para o Brasil são semelhantes no perfil da pauta, sendo formada, grande parte, por produtos industrializados. Cerca de 3 mil empresas brasileiras compraram produtos oriundos do México, no ano passado.

Carga contrabandeada de cigarros apreendida em Afogados da Ingazeira

d68e5fd6c772955e190ebc27803c54e0
 
Uma grande operação acaba de desmontar um esquema de distribuição de cigarros contrabandeados do Paraguai. Segundo informação ao blog do Nill Júnior, cerca de 140 mil cigarros foram apreendidos.
 
O efetivo seguiu agora com a carga e suspeitos de integrar o grupo para a Delegacia. O Sertão também acaba sendo rota do contrabando a partir do Paraguai. A Polícia Civil deve revelar mais detalhes ainda esta tarde.