Monthly Archives: maio 2017

Câmara faz nova visita a áreas afetadas pelas chuvas

 

 

 

O governador Paulo Câmara visitou, nesta segunda-feira (29.05), os municípios de Barreiros, Belém de Maria e Palmares, onde conversou com a população e com os prefeitos para conhecer as demandas prioritárias de cada localidade. Nos três municípios – assim como os demais onze que estão em estado Calamidade – estão sendo instalados Gabinetes de Crise, unificando o trabalho do Governo do Estado no enfrentamento às fortes chuvas que caíram no ultimo final de semana.

“Temos 14 escritórios disponibilizados nos municípios em estado de Calamidade, então, vai ter gente sempre de prontidão da Defesa Civil, do Corpo de Bombeiros, Saúde, Assistência Social e Habitação. Nesse momento, o que nós queremos e temos que fazer de imediato é reestabelecer os serviços de água e energia, e ajudar na limpeza das cidades e na remoção dos entulhos”, frisou Paulo Câmara.

O prefeito de Palmares, Altair Junior, explicou sobre os trabalhos desenvolvidos no município. “Desde ontem, nós estamos com equipes da Defesa Civil acompanhando a situação, tirando as pessoas das áreas de risco, que são as partes mais baixas da cidade – os bairros Santo Onofre, Pedreiras e Cohab I -, além do centro comercial. Hoje, começamos a operação limpeza, e vamos continuar trabalhando”, detalhou.

Até momento, o Governo de Pernambuco contabiliza dois óbitos, 2.279 desabrigados (abrigados em prédios públicos), e 33.625 (desalojados, abrigados em residências de parentes e amigos), após os dois de chuvas intensas na Mata Sul e parte do Agreste.

Acompanharam o governador Paulo Câmara nas visitas desta segunda-feira o vice-governador e secretário de Desenvolvimento Econômico, Raul Henry; os secretários estaduais Nilton Mota (Agricultura e Reforma Agrária), Iran Costa (Saúde), Frederico Amâncio (Educação), o chefe da Casa Militar, coronel Eduardo Pereira; o presidente da Compesa, Roberto Tavares; o deputado federal João Fernando Coutinho; o deputado estadual Clodoaldo Magalhães; e secretário executivo de Recursos Hídricos, coronel Mário Cavalcant

Magno Martins lança Histórias de Repórter na Assembléia Legislativa de Pernambuco

 

Jornalista afogadense Magno Martins lança o livro “Histórias de Repórter”, nesta segunda (29), na Assembleia Legislativa de Pernambuco, em Recife, às 19h.

A obra traz 103 bastidores políticos de Brasília e do Nordeste, com destaque para Pernambuco, vividos pelo jornalista desde o processo de redemocratização aos dias atuais.

Magno Martins é autor do livros “O Nordeste que deu certo”, “O Lixo do Poder”, “A derrota não anunciada”, “Reféns da Seca” e “Perto do Coração”.  O jornalista começou sua carreira no Diário de Pernambuco em 1980. Além do blog de repercussão nacional é também, âncora do programa Frente a Frente, transmitido, hoje, pela Rede Pernambucana de Rádios para mais de 40 emissoras no Nordeste.

“Histórias de repórter, um punhado de bastidores vividos por Magno Martins, é uma leitura agradável, rica, de um País vivido por ele antes de eu chegar a Brasília e começar minha carreira profissional pelas suas mãos, indispensável para jornalistas que estão ingressando no mercado”, diz a jornalista Andreza Matais, que assina a coluna política mais lida do jornal O Estado de São Paulo.

“Aprendi que Jornalismo é um ofício que diverte o espírito e aguça o discernimento intelectual. E por isso mesmo, escrever, para mim, não é necessariamente um trabalho, mas uma distração prazerosa. Os repórteres se dividem em três categorias: o que escreve o que viu; o interpretativo, e o que viu e o que ele acha que isso significa. Estou incluído no primeiro grupo. Em Brasília, vi Tancredo virar mártir, José Sarney fazer a transição, Collor sofrer impeachment, Itamar Franco reinventar o Fusquinha, o nascedouro do Plano Real, o PT e Lula chegarem ao poder”, diz Magno.

Histórias de Repórter, diz o jornalista,  traz um novo olhar sobre os bastidores da política em forma de histórias, em seus múltiplos e curiosos aspectos. Resgata fatos que chegaram ao conhecimento do público superficialmente. “A política é, muitas vezes, um assunto chato, até porque quem faz a politica – os políticos em geral – nos dias atuais se transportaram para as páginas policiais. O Brasil que se abre e se mergulha nas páginas do meu livro também não era diferente. A minha intenção, ao trazer esses ricos bastidores que vivi, é dar uma modesta contribuição às futuras gerações, que leem pouco e pouco sabem sobre o País”.

Presidente da Câmara de Vereadores da Ingazeira foi acusado de censurar denúncia durante sessão na Tribuna Popular

 

 

 

Quando imaginávamos que a censura estaria banida em nosso país, vai que aparece um caso no mínimo curioso sobre esse tema na Ingazeira. O ingazeirense Damião Aquino disse participando do programa Manhã Total, da Rádio Pajeú, que foi proibido de falar na tribuna da Câmara de Vereadores de Ingazeira sobre nepotismo e os critérios para distribuição das casas populares do município. O veto teria partido do Presidente da Casa, Geno Souza, do PSB.

Chamou atenção segundo o comerciante, que depois de se inscrever para usar o espaço popular da “Casa do Povo”, foi alertado de que, da lista de temas que levaria, só poderia falar de saneamento básico. A alegação foi de que “o assunto já tinha sido debatido demais e gerado muitos aborrecimentos”.

Porém, segundo Damião, mesmo os assuntos tendo sido debatidos em sessões anteriores, mas não foram ainda totalmente resolvidos e isso teria sido um dos motivos que o levou a tratar sobre os temas de Nepotismo e Casas Populares.

Na sua entrevista à Rádio Pajeú, Damião, disse que ficou surpreso com a atitude do presidente, “Na hora que eu comecei a falar o Presidente simplesmente encerrou a sessão”. As queixas de Aquino são ligadas ao nepotismo e aos critérios para distribuição de casas populares na Ingazeira. O comunicador Nill Júnior permitiu a Damião que ele falasse o que desejava expressar na câmara quando foi impedido de falar, e neste momento ele falou e fez denúncias.

O vereador do PTB, Dorneles Alencar, defendeu o ingazeirense Damião e indagou durante a sessão o presidente sobre a legalidade do veto. Para Dorneles qualquer cidadão tem o direito de expressar, reivindicar e também cobrar ações para o município.

O mais preocupante de tudo isso é saber que um cidadão que gostaria de reivindicar assuntos relevantes para o município, foi impedido de falar simplesmente por que o tema já tinha sido tratado antes. Não justifica o argumento utilizado pelo presidente para suspender a fala de Damião.

 

Fonte: Blog do Nill Júnior